Mentes em Ação é tema de Monografia

No dia 15/04/2016, os integrantes do Grupo Mentes em Ação prestigiaram a apresentação da monografia “Mentes em Ação”: análise de uma proposta de empoderamento, elaborada pela Psicóloga Marina Carino (à direita na foto). O trabalho foi apresentado no Instituto de Psiquiatria – IPUB/UFRJ, como requisito final do Curso de Especialização em Terapia Familiar.

A monografia tem como tópicos:

  1. Movimento Recovery: protagonismo, empoderamento e um novo olhar sobre tratamento, cura e recuperação;
  2. Família e Saúde Mental – da terapia familiar à potência dos grupos e organizações;
  3. O Construcionismo Social;
  4. Grupos: a construção de um trabalho colaborativo, transformação individual, política e social.

Para Marina Carino:

“A trajetória do Grupo Mentes em Ação, embora única e em constante transformação, porque moldada por experiências e especificidades de seus participantes, suas relações, dinâmicas e circunstâncias, nos mostra algumas das possibilidades e potências de um trabalho de grupo multifacetado, atravessado pela aposta na psicoeducação, na troca de informações, mas também de experiências e narrativas.”

“O grupo se funda no acolhimento, na formação de redes de apoio, cuidado, na circulação de afetos e no empoderamento, que permitem uma jornada rumo a uma maior autonomia e poder de decisão, tanto dos usuários de saúde mental em relação às suas famílias, seu tratamento e seu processo de recuperação, quanto das próprias famílias, que se tornam informadas, fortalecidas e capazes de circular, questionar e exigir mudanças nos sistemas de saúde. Há também um amadurecimento e apropriação do grupo por si próprio, enquanto dispositivo integrado e transformativo, implicado em sua própria construção e produtor de suas próprias narrativas, questões e reivindicações.”

“A discussão aqui proposta refere-se ao grupo não como um acessório, um complemento, mas a potência deste de tornar-se um espaço central de trabalho, recuperação, reivindicação política, de reconstrução de narrativas de si, da doença e, também, do falar e performar a saúde. Isso tampouco implica dizer que o trabalho com grupos seria superior aos demais; de forma alguma, mas é uma modalidade por si própria, com recursos e desafios próprios.”

“A experiência com o Mentes em Ação se mostrou rica em aprendizagens, reflexões, complexificação e ampliação de ideias e olhares sobre a doença e a saúde mental, sobre o trabalho com as famílias, o grupo, sobre possibilidades de intervenção, troca e espaços de fala, diálogo e transformação, como mais algumas vozes que podem se juntar à discussão polifônica sobre o tema, mais algumas versões de grupo, de encontro, de intervenção e de mundos construídos e reconstruídos coletivamente que podem enriquecer nosso repertório, e o processo de recuperação dessas pessoas.”
“As janelas e portas encontram-se abertas; a sala, agora mais iluminada, ventilada, parece ter sido até ampliada, crescido, e o espaço para circulação de pessoas, ideias e propostas parece ter tomado proporções maiores, mesmo que as paredes não tenham se movido, afinal. Quem circulará por esses espaços, de que forma serão ocupados, desafiados, transformados e requisitados, que trocas e discursos se tornarão cada vez mais relevantes, potentes e possíveis, só o tempo dirá.”

O Grupo Mentes em Ação parabeniza a Psicóloga Marina Carino pelo trabalho !

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.